WINUSB Criando pendrive bootável do Windows pelo Debian


Baixando e instalando o winusb
Debian - Linux
Você que é utilizador do sistema Linux, porém precisa criar um pendrive bootável do Windows, não sabe como criar, então você esta no lugar certo. Aqui apresentaremos o aplicativo Winusb em deb, para instalar na sua distro Debian  amd64, o nosso diferencial é que, o programa será disponibilizado sem frescura, de por propaganda no link ou link do programa que na realidade vai para outra pagina do próprio site.
A pior coisa e você necessitar de um programa e muitos se aproveitarem de sua necessidade, cansado disso vamos apresentar como o software funciona e o próprio software com link direto disponibilizado no Dropbox.
O link da versão 64 para Debian com a libwxbase >2.8.12... aqui
O link da versão 64 para Debian com a libwxbase <2.8.12... aqui 

INSTALAÇÃO

Como todo aplicativo deb, super fácil é a instalação basta apenas estar com o arquivo em mãos e só executá-lo com seu instalador de arquivos deb, no meu caso uso o Gdeb , logo apos ira pedir a senha do root, pronto só desfrutar cirando seu pendrive bootável do Windows dentro de uma distribuição Linux

Baixando o winusb arquivo direto
Executando a instalação do WinUSB

Fim da isonomia - Entenda este impacto no seu bolso


Fim da neutralidade Americana, acende pressão por parte das empresas de telecomunicações brasileiras para fim semelhante no Brasil


Fim da isonomia na internet
Atualmente a lei brasileira inserida no marco  civil da internet capitulo III, da provisão de conexão e de aplicações de internet, seção I da neutralidade de rede "Art. 9o O responsável pela transmissão, comutação ou roteamento tem o dever de tratar de forma isonômica quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicação." e tem mais, veja em marco civil, planalto.

Esta lei garante  o principio do direito de que todo pacote de dados que o cliente contrata não tenha distinção de tratamento, não devendo haver nenhuma distinção entre pacotes por exemplo do trafego do Netflix, Youtube, Utorrent, com isso temos a garantia por lei que todos os provedores de internet não limitem o trafego do seu Netflix e deixem sua banda total focada somente na navegação em sites.
Por isso esta pratica é proibida e pouco usada mesmo que ocultamente no âmbito da lei, porém no Brasil as operadoras não gostam de segui o que é bom de lá de fora, e gostam de seguir coisas que só beneficiam elas, após uma mudança nas leis dos EUA(Estados Unidos da América) a lei foi aprovada pelo presidente ao apelo das empresas por lá, e agora aqui, elas querem empurrar os senadores para que mudem as leis do marco civil, anteriormente tivemos uma tentativa de mudar o tipo de cobrança feito sobre a venda da internet aos cliente.

Um pouco de Historia contemporânea

Em meados do ano 2016, as mesmas operadoras queriam colocar  a quantidade de internet fixa por pacotes, porém como o apelo da população contra esta mudança foi muito imensa os senadores preferiram não sancioná-la, mas agora as prestadoras de serviço, querem seguir esta mudança ocorrida em outro pais, convenhamos gostaríamos que pelo menos que elas seguissem as coisas boas da infraestrutura da internet nos EUA, mas isso isso não, pois alegam que não possuem condições de reformular a estrutura, mas mudar a forma de cobrança e tratamento sempre eles querem empurrar para os clientes.

Vamos entender como isso impacta no seu bolso

Começaremos como um exemplo atualmente você contrata uma certa velocidade de internet uma franquia com certa velocidade estipulada, com isso você contrata uma internet de 2Mbs, usa ela para assistir filme no Youtube, acessar o Facebook, o tratamento atualmente destes dois tipos de protocolo são diferentes o Youtube e acessar um Facebook, para o cliente isso passa a despercebido, pois é uma implementação de rede não é levada em questão de uso, porém para os administradores um filme rodando pesa mais do que um acesso ou dez acessos ao Facebook, com a nova proposta de mudança eles poderão aplicar a diferença em seu bolso criando pacotes de trafego por aplicações ou acesso.

Modelo atual de venda de aceso
Modelo atual de venda de aceso
Na pratica eles podem criar pacotes de acesso ao Facebook, pacote de acesso ao Netflix e um pacote de acesso ao Youtube, independente do seu contrato, poderiam limitar sua internet de 2Mbs que dá uma taxa de 250kb's Calculo 2Mb =2000kb/8 = 250kbp's, então sua internet com velocidade download de 250kb's para o acesso a internet, acessando os sites porém quando visitar o Youtube podem limitar este acesso a 50kbp's teoricamente, e para você poder assistir seu video com uma velocidade razoável terá que pagar um valor diferente para usufruir do serviço.

Então você esta contratando internet ou TV a cabo?


Sim isso mesmo, um bom exemplo só as TVs a cabo onde o cliente paga por pacote de canais que ira assistir e os que ficam fora do pacote só bloqueados, sendo que para a internet irá ter pouca diferença.
Os focos desta mudança são velocidade para cada produto ou serviço, preço a cada franquia e olho no conteúdo acessado pois só assim poderão distinguir o que esta acessado e franquiá-lo por pacote.

Alegação das operadoras

Que com esta mudança poderão arrecadar capital suficiente para, poderem assim fazerem as mudanças na infraestrutura e "entregar aos clientes uma internet que presta", até parece que da forma que estão as cobranças sobre os pacotes de dados e de dados moveis já não são suficientes para fazer tal reformulação estrutural.

Se deixarmos ocorrer esta mudança os pontos principais que ela tem?

Se quiser usufruir todos os benefícios que hoje por mais ruim que seja, se esta lei for sancionada você terá que fazer uma salada mista de valores para cada site ou aplicativo que usufruir.
Nós do Blog do KDS apoiamos a isonomia da internet, e vice depois de saber um pouco mais o que acha, não aceite calado mudanças que só pensam no nosso bolso e não trará nenhum beneficio a nos clientes.

Como imprimir uma pagina de teste de impressora fiscal e não fiscal


imprimindo pagina de teste de impressora pelo CMD
Impressora Daruma Dr700
Mesmo com o surgimento das tecnoligas das coisas, no ambiente industrial possuimos muitos equipamentos que utilizam padroes de conexão criados há um bom tempo, neste ambito muitos técnicos novos que estão surgindo no mundo em que a maioria dos equipamentos são conectados via rede wifi ou cabeada, lidamos com equipamentos que utilizam conexões RS 232 db9, aqui abordaremos o comando para você testar em qual porta serial esta conectada sua impressora fiscal ou não-fiscal com um print simples.
Para isso vá ao CMD e digitar o comando DIR > COM2
se a sua impressora estiver conectada a porta serial COM2 sairá uma pagina contendo informaçoes dos principais diretorios do windows, se não sair veja quais os numeros das portas presentes no seu windows.

Anterior Proxima Página inicial